sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Últimos fatos...

Perdida na Europa!
Essa foi sem duvidas a minha primeira sensação ao pisar em Lisboa. O que vim fazer aqui? Porque diabos imaginei isso para mim? Longe dos meus pais, dos meus amigos e das principais pessoas da minha vida. Mas se estou aqui é porque o destino quis. E agora não tem mais volta, vou até o fim.
Bem... se tem algo que ajuda quase toda mulher é fazer compras, já que estou na Europa é isso que vou fazer... mas como não sou de todo "desajuizada" só adiantei alguns dos itens do final da lista de compras.

Aos poucos as coisas se ajeitam. deixar o quarto com a minha cara, me prender a detalhes que lembram o Brasil, tudo ajuda a desviar da mente as preocupações e inseguranças. Claro que se não fosse por meu amigo junto as coisas seriam muito mais difíceis.
Saudades de casa aumentam, mas com o passar dos dias surgem eventos que não são rotineiros na outra vida no Brasil: arrumar o quarto, sair para compras, regular o dinheiro, cozinhar e até me preocupar com a sujeira... é, a vida aqui começa a mostrar seu outro lado.

A insegurança continua, mas no fim da semana já me deparo sentindo-me responsável pela amiga que está chegando agora. Sim, talvez seja bobeira, mas me ponho no lugar dela chegando sozinha a um lugar estranho, no que posso, ajudo!

Sempre quis poder montar um blog com minhas experiências, nem sempre são interessantes, no geral podem ate ser poucas, provavelmente ninguém via ler ou realmente se interessar, alguns amigos podem ler por consideração, mas o prazer de que eu tinha desde criança de poder escrever em um diário e explicar um pouco do que sinto volta a tona independente de publicidade.

Não sou o tipo de pessoa que sempre começa e termina algo, estou mais para o tipo que tem preguiça de começar qualquer coisa. Mas dessa vez vou tentar, o mínimo que seja, terminar durante esses 180 dias longe de casa alguma coisa sem importância crucial na vida: Cumprir o dever de escrever um blog, sem abandoná-lo por preguiça ou falta de atenção (como uma criança mimada).

A proposito, aos que lerem, se lerem, desculpe pela gramática ou algo do tipo... não almejo me tornar nenhuma escritora, apesar de ser muito fã destas

Nenhum comentário:

Postar um comentário